VOCÊ ESTÁ EM >> MAIS VALE MAIS!

Mais vale mais!

Quer dar um toque inovador na decoração da sua casa? A palavra de ordem, agora, é maximizar: abusar da cor, das obras de arte, dos objetos de valor sentimental, sem se ater ao perfeccionismo, mas à personalização

Foto: Caseys Furniture

 

Uma das fortes tendências para o design de interiores, o maximalismo, é um estilo apaixonante por sua exuberância, cores e conforto.  Por muito tempo, o minimalismo dominou as preferências na decoração, até aparecer a ideia de Hygge (pronuncia-se "hu-ga") -  conceito dinamarquês de difícil tradução, como a palavra saudade em português, que pode significar bem-estar, aconchego, bons momentos ao lado de amigos e família. Talvez na esteira de valores que vêm sendo resgatados em busca de uma melhor qualidade de vida e de relacionamento com o planeta.

Decorar para o conforto significa encher nossas casas com coisas que amamos. E Maximalismo significa envolver a casa com muitas destas coisas. Mas isso não quer dizer transformá-la num lugar confuso e aleatório. A ideia não é simplesmente maximizar 100% do espaço, mas emprestar o melhor da tendência, promovendo o equilíbrio, sempre tão esperado.

Não há regras para a decoração maximalista. Tudo que você precisa é paixão por criar um espaço verdadeiramente único e seu. Se faltar inspiração, eis algumas dicas.

Cores

A cor é fundamental para o design de interiores maximalista. Pode-se começar com uma paleta de cores básicas, mas logo você notará que as cores escuras, como o preto e o azul marinho, são mais fáceis para trabalhar o estilo. Neste caso, um dos segredos é encher o ambiente com detalhes ou padrões ousados ou, ainda, brilhantes.

“Galeria de arte”

Nada mais maximalista na parede do que uma “galeria de arte”. O segredo para um bom resultado é esquecer o que você sabe sobre coordenar os quadros, cores e assuntos. O objetivo é simplesmente preencher o espaço com telas, gravuras, xilogravuras, máscaras, esculturas, enfim, com toda a arte que você ama. Só é preciso cuidado com a distância entre as molduras e objetos. O espaçamento deve ser uniforme.

Valor sentimental

Quanto mais nos cercamos de objetos queridos, que agregam história e experiências, mais amamos nosso cantinho. Maximalismo significa mais disso tudo: mais cores, tecidos e acessórios favoritos. Para evitar que sua decoração pareça algo sem pé nem cabeça, encontre algum tema comum, que pode estar na cor, padrão ou corrente estética para repetir na sala. Há uma linha tênue entre uma boa e má decoração, quando se exagera a dose. Maximalismo não é transformar a casa num depósito de objetos, ignorando proporções e espaço para circulação.

Livros

O estilo maximalista é o sonho dos amantes de livros, diferente de outros estilos, que normalmente limitam a quantidade livros que você pode exibir. Todos os livros são bem-vindos no maximalismo.  Adeus caixas e baús de exemplares armazenados em prateleiras ou esquecidos em armários. Agora terão lugar nobre, seja em estantes que cobrem toda a parede, mesclados com objetos de destaque em nichos ou empilhados de forma informal, como mesas de centro ou laterais.

Conforto

Minimalismo e downsizing (“enxugar” o espaço) são conceitos que, apesar de encherem os olhos com design limpo e selecionado, trouxeram carência por conforto e aconchego. E impulsionaram estilos extremos, como o Hygge, que traz a simplicidade escandinava, carecendo ainda de algum glamour. Maximalismo combina uma decoração mais confortável e aconchegante com cores e acessórios personalizados.

Alegria

O maximalismo pede alegria no ambiente. Paletas de cores quentes com padrões florais são obrigatórios. Você pode incorporar outros estilos “felizes”, tais como boho, country inglês, étnico, anos 70...

Boho

Os fãs do estilo boho, que foge dos padrões tradicionais e gosta de surpreender, provavelmente se apaixonarão pelo maximalismo. Esses dois estilos compartilham um tema comum de excesso atraente. Vale referências étnicas, hippie, orientais, combinadas unidas numa temática romântica, country ou vintage. Tudo com muita cor e alegria, mas sem a elegância.

Antiguidades

Móveis e acessórios vintage ou de herança tem tudo a ver com um espaço maximalista, tanto pelo conceito material quanto histórico e sentimental. O estilo discreto do design das peças de meados do século passado tem como contraponto as cores vibrantes e formas expressivas. Já os estilos barroco, vitoriano e art déco também são excessivos, então você não terá problemas em combiná-los para criar seu ambiente maximalista.

Imperfeito

Pode relaxar. No maximalismo você decora a sua casa sem precisar buscar a perfeição. Pelo contrário, o estilo até funciona melhor quando é imperfeito. Embora seja importante a unidade visual, conseguida por meio de cores e padrões, não há necessidade de nada combinadinho.