VOCÊ ESTÁ EM >> O CHÃO DA NOSSA CASA

O Chão da Nossa Casa

Dúvidas para escolher o piso certo? O Infográfico da Revista Obra Prima deste bimestre pode lhe dar uma mão. Eis mais de 20 tipos de revestimentos. Um, com certeza, é o ideal para você.

CERÂMICA

Piso dos mais populares no país, pode ser encontrado nos mais diversos tamanhos, texturas, acabamentos, qualidades, preços, cores e estampas.

 

Por quê:

Serve tanto para áreas internas como externas, com a devida cobertura antiderrapante;

Mantém a casa fresca no verão, graças às propriedades da cerâmica;

Há opções de modelos com superfície esmaltada, lisa, acetinada, brilhante, fosca, rústica, em relevo...

Alta resistência e fácil manutenção;

Há várias opções de bordas. Na hora de aplicar, as placas de acabamento reto economizam rejunte;

Antialérgica e anti-inflamável;

Tem preço melhor do que os materiais similares.

 

PORCELANATO

O porcelanato e a cerâmica são semelhantes. A principal diferença está na fabricação. A cerâmica é composta por uma mistura de argila e alguns minerais e o porcelanato é feito de porcelana e outros materiais mais nobres. Além disso, sua temperatura de queima pode chegar a 1.200 graus, o que garante mais resistência e menos porosidade, ou seja, nível de absorção de água muito baixo.

Por quê:

Alta resistência e qualidade;

Permite uma grande variedade de tamanhos, formatos e texturas, que imitam madeira, pedras naturais, cimento e mármore, em diferentes tons e acabamentos;

Há semi polidos, polidos, rústicos, esmaltados, acetinados, amadeirados, porcelanatos digitais polidos, entre outros.

LAMINADO / CARPETE DE MADEIRA

Piso constituído de lâminas de madeiras em larguras e comprimentos variados, cuja camada superior de superfície costuma exibir estampa artificial, protegida por resina de melamina-formaldeído. Quanto mais denso o substrato, mais resistente o produto final.

Tipos:

Pisos de madeira natural: carpetes de madeira (substrato de compensado revestido com lâmina de madeira natural);

Pisos laminados: de alta pressão (tipo fórmica) e de alta resistência (tipo flutuantes).

Os carpetes de madeira oferecem menor resistência superficial quando comparado aos pisos laminados nos resultados de abrasão. Normalmente são aplicados da mesma forma que os pisos flutuantes.

Os pisos laminados de alta pressão, por sua vez, são fabricados a partir da impregnação do papel em resinas (fenólicas e melamínicas) prensadas em alta pressão e temperatura, obtendo-se um corpo único (fórmica). Esse tipo de piso é colado diretamente na base com adesivo de contato.

Os pisos laminados de alta resistência são compostos de substrato (HPP/HDF) e revestidos em sua superfície com papel decorativo. Têm as mesmas propriedades e características dos pisos laminados de alta pressão, mas são aplicados sobre a base como se fosse um tapete, ou seja, as réguas são coladas umas às outras, mas não são coladas na base ou no piso onde são aplicadas.

Por quê:

É resistente e fácil de limpar;

É funcional como isolante térmico, e principalmente acústico;

Substitui a madeira de forma mais econômica;

É hipo-alergênico;

Versátil, pode ser usado em residência ou comércio. São ideais e muito utilizados em salas, quartos, escritórios, corredores e outros cômodos internos;

De fácil instalação, sem sujeira, pode revestir pisos já colocados, desde que bem nivelados.

 

GRANITO

Composto por uma mistura de pontos com cores e formas diferentes, esta aparência é resultado da mistura de átomos de materiais variados, sendo composto principalmente por quartzo, feldspato e mica.

Por quê?

Oferece uma enorme gama de cores, entre tons de branco, cinza, marrom, bege, preto, derivação da rosa, verde, entre muitas outras;

Piso belo e nobre;

Durável, não arranha e pode ser polido muitas vezes, aumentando a sua vida útil;

Fácil de limpar.

 

MÁRMORE

A grande diferença entre o mármore e o granito está na composição mineral. O mármore é feito de calcita e/ou dolomita que são calcários, menos resistente do que o granito, porque absorve mais facilmente os líquidos a ele expostos e arranha com mais facilidade. Daí ser mais indicado para ambientes internos e de pouco tráfego. Exige cuidado com limpeza, devido à porosidade que pode ser facilmente causada por produtos abrasivos. Possui um custo mais elevado, já que não é muito encontrado, nem produzido no Brasil.

Por quê?

É um material luxuoso e nobre;

Tem uma aparência mais lisa e uniforme;

Se bem aplicado, esconde emendas e rejunte;

Como toda pedra, é térmico: mantém a casa fresca no verão e quente no inverno;

Apresenta uma mescla mais suave de cores, com veios mais longos e definidos;

Valoriza o imóvel.

 

SILESTONE

Silestone é composto por cerca de 94% de quartzo natural, o que lhe proporciona dureza e resistência extraordinárias. É uma superfície excelente para bancadas de cozinha, banheiros, pisos e revestimentos de parede com quantidade reduzida de juntas. O custo é mais alto comparado a produtos similares.

Por quê?

Proporciona belas e variadas cores, extraordinárias texturas e um elevado desempenho;

Porosidade nula;

Resistente a manchas;

Diversas texturas.

 

TÁBUA CORRIDA / TACO / PARQUET

Tábuas de madeira natural:  versão mais cara do piso de madeira, que ultrapassa o preço dos produtos de melhor qualidade ou da maior parte dos porcelanatos, e sua manutenção exige mais cuidados do que os de outros tipos similares. Pode ser feita com madeira de reflorestamento.

Os tacos já fizeram muito sucesso entre os anos 60 e 80 e agora estão voltando com um ar retrô. As madeiras mais comuns para taco são a Grápia, Cumaru e Ipê. Possuem um custo elevado e a manutenção é mais trabalhosa também.

O parquet se diferencia do taco pelos desenhos formados no chão e o uso de cores de madeira contrastantes, o restante é bem parecido, inclusive a instalação.

Piso em madeira natural de lei geralmente é extraído da Amazônia, não é sustentável, embora tenha uma beleza inigualável.

Por quê?

Agrega nobreza e muito conforto aos ambientes;

Bom desempenho térmico, temperatura sempre agradável ao toque, nem muito quente, nem muito fria;

É absorvente, ou seja, os sons não rebatem tanto em sua superfície, ajudando a tirar o efeito de eco dos ambientes;

Design: os veios naturais geram diferentes e belos efeitos visuais, que vão do rústico ao contemporâneo brasileiro;

Se de boa procedência e bem mantida, tem alta durabilidade;

Material clássico e muito imitado.

 

CIMENTO QUEIMADO

Durante anos, foi um dos pisos mais utilizados em casas simples, devido ao preço baixo, especialmente no interior, onde era chamado de “Vermelhão”, em função da preferência de cor utilizada. E continua muito procurado, agora para construções contemporâneas, modernas, de estilo industrial, além de comerciais. Trata-se de uma argamassa, à base de cimento, areia, água e aditivos, aplicada na espessura de 30 mm, sobre um contrapiso de concreto.

 

Por quê?

Bom custo/benefício;

Versátil, vai bem em vários estilos de projetos;

Enorme gama de tons, dos coloridos tradicionais (vermelho, verde, amarelo e azul) aos mais sóbrios e claros, alcançados com pó de mármore e pó de granito, incorporados à massa quando se deseja tons mais sóbrios ou claros.

 

PASTILHAS

As pastilhas são peças pequenas e delicadas que destacam detalhes arquitetônicos do ambiente.

São feitas normalmente com vidro, porcelana, cerâmica, mas há pastilhas de mármore, madeira e metal. Mas os modelos orgânicos não são aconselháveis para áreas molhadas por absorver umidade, levando ao desbotamento das cores e surgimento de manchas, ao longo dos anos. Apesar de lisas, as pastilhas de vidro não são tão escorregadias como parecem, graças às juntas do rejunte, que criam uma boa superfície de atrito, mas há modelos pigmentados, mais porosos, no mercado. É uma opção cara que materiais similares, devido ao trabalho cuidadoso de colocação.

 

Por quê?

Trazem movimento ao espaço;

Agregam valor e beleza ao ambiente;

Recomendadas para locais que demandam higienização frequente, pela facilidade de limpeza; -

Versatilidade no uso, interno e externo;

As pastilhas de vidro são ótimas impermeabilizantes, e as suas cores não são afetadas pela umidade do ambiente. Por isso são recomendadas para áreas molhadas da casa, como no banheiro, lavabo, lavanderia, sauna e na piscina, inclusive borda;

Clássicas, não saem de moda;

Permitem o conceito de continuidade, em que revestem as paredes e continuam pelo chão, possibilitando ainda divisões no ambiente, com uso de cores distintas ou em composé.

 

BAMBU

O piso bambu é feito por meio da fundição de fibras de bambu em uma pressão elevada, conferindo-lhe uma maior densidade, em comparação com outros tipos similares. É altamente indicado para áreas de muito tráfego, bem como para as áreas de pouco. O piso de bambu é ainda mais resistente que o piso laminado em relação à umidade. Já vem tratado e com acabamento de fábrica, evitando sujeira e pó durante a colocação, bem rápida.

Por quê?

Produto de fácil acesso e de fácil reposição. O bambu é uma planta de crescimento rápido e de fácil renovação.

Piso fácil de cuidar: basta uma vassoura ou aspirador, pano umedecido com água seguido de pano seco;

Boa resistência à água. Resisti melhor a danos, deformações, manchas causadas pela água e infiltrações, mas não é impermeável;

Sustentável;

Preço competitivo;

Material com elevada resistência, tal qual a planta conhecida por ser tão forte quanto o cimento;

Beleza e elegância;

Material de fácil reparo. Se com o tempo arranhar, descolorir ou danificar, basta lixar o material e aplicar um novo acabamento por cima.

 

CORTIÇA

Os pisos de cortiça são feitos com o uso de placas de cortiça, uma casca de origem vegetal, muito leve e macia, e que possui propriedades isolantes – ideal para quem procura um revestimento térmico e acústicos para casa, apartamento, estúdios ou escritório. Estes pisos são feitos de acordo com as novas tendências de sustentabilidade, cujo matéria tem origem em fontes naturais renováveis da natureza. Só não é indicado para quem tem pets em casa, porque eles danificam o material facilmente.

Isolamento térmico: os pisos de cortiça são ótimos isolantes térmicos, e por isso mantém o ambiente com temperaturas agradáveis tanto no inverno como no verão;

 

Por quê?

Não acumula eletricidade estática, sendo recomendado para salas com muitos equipamentos eletrônicos, como um escritório residencial ou a sala de jogos das crianças;

Absorção do som, ideal para quem mora em apartamentos;

Conforto aos pés: possui uma superfície macia, que gera a sensação de pisar em nuvens, ótimo para o quarto das crianças;

Resistente a fungos e bactérias, boa opção para quem tem alergia ou problemas respiratórios;

Boa durabilidade, se bem mantido, evitando móveis pesados, animais de estimação e água.

 

RESINA EPÓXI

Liso e homogêneo, este piso é bastante usado para revestir superfícies de garagens, indústrias, aeroportos e hospitais, devido à alta resistência, durabilidade, resistência a acúmulo de pó e outras sujeiras. Também oferece segurança contra escorregões, funcionalidade e é de fácil pavimentação. Conhecido como porcelanato líquido ou piso 3D, é ideal reformas, pois dispensa a remoção do piso antigo, pode ser aplicado diretamente no existente.

 

Por quê?

Por ser um piso monolítico (ou seja, sem juntas), tem fácil limpeza;

Não acumula poeira nem sujeira;

Impermeável, graças à ausência de porosidade, o que dificulta a proliferação de micro-organismos;

Boa durabilidade;

Fácil de aplicar, dispensa maquinário e o tempo de instalação é inferior ao revestimento cerâmico/ cimentício;

Pode ser aplicado sobre vários tipos de superfície;

Alta resistência química e mecânica;

Efeito decorativo com diversas combinações de cores, padrões e acabamentos (fosco ou brilhante).

 

EMBORRACHADO

Antiderrapante, trata-se de uma ótima opção para quem quer um lugar seguro, sem perigo de escorregões, sejam usuários frequentes ou passantes. Por conta disso, ele é perfeito para academias, hotéis, restaurantes e playgrounds, prevenindo que crianças ou idosos se machuquem na área.

 

Por quê?

Seguro;

Prático;

É termo acústico;

Há vários padrões, como círculos, quadrados ou em formato de grão de arroz;

Este tipo de material se adapta bem a qualquer tipo de lugar, interno ou externo;

Pode ser uma opção diferente para o piso de residências, já que é seguro para idosos e crianças, por ser antiderrapante e com isolamento térmico.

 

CARPETE

Feito de vários materiais e fibras, como lã, nylon e poliéster, o carpete tem como grande vantagem o conforto térmico e acústico. E previne tombos. O carpete é mais indicado para os quartos, onde tem menos circulação. Oferece sensação de conforto e aconchego, mas, pela dificuldade de limpeza (não basta um pano úmido, como no caso do porcelanato, pedras e carpete de madeira) não é indicado para quem sofre de alergias e problemas respiratórios, especialmente em ambientes quentes e úmidos.

 

Por quê?

Forte elemento decorativo;

Variedade de cores, padrões e materiais – dos mais quentes aos mais frios;

À prova de barulho, ótimo conforto acústico;

Deixa a casa quentinha e aconchegante no frio;

Previne tombos e, caso aconteça, amortece a batida.

 

PISO DE VIDRO / ACRÍLICO

Para os mais ousados e inovadores, uma boa sugestão é o piso de vidro, um elemento versátil, bonito e seguro, que cada vez ganha mais espaço em projetos residências e comerciais. Oferece muitas possibilidades, podendo ser aplicado em combinações com texturas, mármore, LEDs e iluminação artificial de todo o tipo, destacando o ambiente e o tornando mais claro e vivo.

Confere um ar descontraído e moderno, como o das casas noturnas, onde é muito usado;

Translúcido, é ideal para espaços elevados, oferecendo um belo efeito de profundidade e ponto de atração na decoração de interiores;

O piso de vidro traz uma película protetora que impede qualquer risco na sua superfície, evitando o envelhecimento rápido;

Antiderrapante, serve tanto para ambientes internos, como cozinha, banheiro e escada, e ambientes externos, como jardim e piscina, por exemplo.