VOCÊ ESTÁ EM >> PEDRAS RÚSTICAS NO INTERIOR: UMA DECLARAÇÃO À NATUREZA

Pedras rústicas no interior: uma declaração à natureza

Se você já decidiu aplicar um visual rústico para gerar um clima de ar livre no interior de sua casa, a pedra sem polimento pode ser uma opção inteligente, especialmente pelo aconchego, durabilidade e facilidade de manutenção.

Muitos são atraídos pela aparência polida e brilhante de pisos de pedras nobres. Ao longo da história, esse tipo de revestimento foi associado à limpeza e opulência. É assim quando você entra em hotéis de luxo de Roma ou Milão, por exemplo: é possível enxergar o próprio reflexo no chão, geralmente de mármore ou granito, finalizado com perfeição. No entanto, quando você viaja para o interior da Itália, o visual brilhante, reservado apenas a algumas igrejas e repartições públicas, dá lugar ao acabamento cru da pedra natural, na maioria das casas e hotéis.

O uso de pedras rústicas é algo que tem se tornado cada vez mais presente na decoração de interiores. E as escolhas do tipo, da cor e do tamanho irá depender do gosto pessoal e do local onde será instalada. “Por ser um produto natural, qualquer uma se adapta muito bem a qualquer ambiente sendo interno ou externo, sem nenhuma limitação, trazendo aconchego e leveza ao ambiente”, diz Gislene Rezende, proprietária da empresa Mundial Pedras e Telhas, especializada no assunto. E os acabamentos podem oferecer diferentes efeitos, dependendo das características do projeto, em formatos como palitos, tijolos, canjiquinha e placas. Essas últimas, devido a pré-montagem, facilitam e diminuem o prazo e o custo de aplicação, possibilitando um acabamento impecável. “Algumas pedras são vendidas em placas de cimento com fibra de vidro, como é o caso da pedra Espanha (20cmx60cm), importada, que lembra as grandes construções da Espanha, nas cores Golden, Oxi Canyon e Tigre, Branca e cinza. Ela garante um acabamento moderno e sofisticado, ao mesmo tempo rústico e diferenciado”, ensina Gislene.

Outra pedra bastante em alta é o tijolo de mármore Travertino Antique, em variações do tom de creme, importado da Indonésia. Trata-se de um produto altamente resistente, com poros fechados, o que garante uma baixa manutenção. Geralmente é escolhido em projetos modernos, que buscam um aspecto natural e aconchegante. “Seu formato evoca os tijolos utilizados na antiga Roma, padronizado na altura de 7,5 cm, em diversas medidas de comprimento, que se encaixam entre si, garantindo um resultado impecável”, conta a empresária. 

Cada pedra tem uma aplicação especifica e existem diversas formas de serem assentadas, até mesmo porque há peças regulares e irregulares. E há modelos para todos os gostos e bolsos. Mas, segundo Gislene, sua cotação baseia-se, entre outros quesitos, na profundidade da pedreira – quanto mais profunda, melhor a qualidade do produto.

Uma pedra nunca é igual a outra, mesmo sendo do mesmo tipo - isso que faz dela um material único. Além disso, traz uma energia boa da natureza para dentro de casa. “Dizem que tem, mesmo, essa propriedade de espantar energia ruim”, brinca Gislene

A seguir alguns projetos especiais de arquitetos tarimbados, que inovam no uso da pedra natural.

 

 

 

Pedras mais usadas

Ardósia: resistente e de baixo custo, utilizada mais na cor cinza.

Seixos: com o formato arredondado, podemos encontrá-los nas cores: marrom, branco, amarelo, preto e cinza.

Pedra madeira: combina com ambientes rústicos e lembra os tons da madeira, daí o seu nome.

Pedra portuguesa: No interior, como revestimento de paredes, resulta num efeito moderno e contemporâneo.

Pedra São Thomé: Antitérmica, ideal para locais quentes, pode gerar um efeito rústico, moderno ou clássico, conforme a decoração do ambiente.

Miracema: uma espécie de granito, apresenta uma ampla gama de cores, o que possibilita achar um tom que mais combina com a proposta desejada.

Pedra Goiás: classificada como quartzito, está disponível em tonalidades diferentes do verde, amarela, rosa, branca e mesclada.

Pedra Ferro: O nome vem do seu aspecto oxidado de pedra vulcânica. Vai bem em lareiras, painéis, paredes de escadas...

 

 

Vantagens

São práticas e exigem pouca manutenção;

Podem ser usadas tanto em áreas externas, como internas;

Aliadas à uma boa iluminação, criam belos ambientes, com elegância e sofisticação;

Capacidade de retardamento térmico, o que diminui a oscilação térmica interna, mantendo a temperatura com menos variação;

Qualidades acústicas: faz com que o som fique mais claro e mais alto, no ambiente;

Resistem ao vento, ao fogo, à água e aos cupins.

 

Desvantagens

Alto custo de instalação;

Em localidades onde a temperatura cai bastante, o ambiente ficará mais frio;

Se não for limpa com frequência, poderá juntar insetos;

Necessita de tratamento impermeável: principalmente em cozinhas e banheiros, deve-se optar por pedras de poros fechados, tratadas com impermeabilizante oleofugante para que não absorva mofo, fungos e sujeiras;

Não é aconselhado seu uso em paredes de Dry Wall, devido ao peso do material.