VOCÊ ESTÁ EM >> ÁREAS NADA COMUNS - PROJETO LUÍS ALFREDO E LUCIANA ROGÉRIO

Áreas nada comuns - Projeto Luís Alfredo e Luciana Rogério

Amplitude e exclusividade fazem parte do dia-a-dia dos moradores do Edifício Mediterrâneo

Imagine um prédio com 25 andares e 100 apartamentos de alto padrão erguido em um terreno de grandes proporções. Devido à suntuosidade do projeto, faz todo o sentido que os 3.400 m² de área comum do prédio também tenham sido pensados para impressionar.

Móveis exclusivos, materiais duráveis e de excelente qualidade e muita criatividade fizeram parte do mix utilizado pelos arquitetos Luís Alfredo e Luciana Rogério para criar espaços de convívio coletivo capazes de satisfazer os mais exigentes investidores. “Em todo projeto, sempre há restrições orçamentárias, mas aqui o pessoal pensa também no futuro, na valorização do imóvel”, destacou Luciana.

Já na entrada, o impacto: pedras Tigre envelopam a guarita de segurança dando esplendor à fachada. À noite, balizadores guiam os passos dos visitantes pela escada até a passarela em deck que os levará ao hall de elevadores. “Esse é um caminho convidativo, com vasos e bancos nas laterais, demarcando a alameda”, disse Luís Alfredo.

Uma porta pivotante divide os moradores, direcionando-os para dois halls simétricos e elevadores distintos, separados de acordo com o número do apartamento. Antes de chagar lá, no entanto, um ambiente reservado dá privacidade para quem decide esperar no andar térreo. No mobiliário, duas peças exclusivas são assinadas por designers: a poltrona Kazz, de Luan Del Savio; e a mesa lateral Hago, de Bruno Faucz.

Lazer

Além de bonito, o projeto privilegia a diversão dos condôminos. Tem área playground, espaço fitness, dois salões de festa e jogos, piscina, quadra poliesportiva e de squash, área gourmet, pergolado e até uma mini horta com temperos e especiarias. Em todos os espaços a mobília e os materiais usados são diferenciais.

“Nos salões de festas, novamente, temos móveis assinados por designers renomados. Precisávamos também que fossem duráveis e/ou facilmente substituíveis porque são áreas a serem utilizadas constantemente e por muita gente”, disse Luís Alfredo.

Paisagismo

Como uma área externa e descoberta tão grande, ficou com a paisagismo a reponsabilidade de finalizar o projeto com estilo. Sem dúvida, um desafio, já que o terreno inteiro consiste na laje que cobre as garagens. “Usamos floreiras, caminhos pavimentados e pedriscos para simular um jardim. Não havia como plantar grama ou outras árvores, por isso os vasos. Acho que conseguimos quebrar a aridez que existia antes. E já pensamos no futuro com a possibilidade de cobrir a passarela de madeira”, explicou Luciana.

Outra oportunidade de curtir uma “varanda” é o pergolado. Criado para ser uma extensão dos apartamentos, um lugar para passar o tempo, fazer uma pequena reunião ou apenas esticar as pernas, ele conta com móveis em madeira e corda náutica, além de uma lareira a gás cheia de estilo da Ecofireplace – sustentáveis e ecológicas.